Google+ Followers

terça-feira, 30 de junho de 2015

Deus sabe o que faz





            Conta-se que um homem chamado Okiba teve que abandonar sua terra por motivos particulares, e, assim, peregrinou em regiões inóspitas e desérticas. Levava consigo um candeeiro para estudar a Escritura, e um galo que lhe servia de despertador. Para não andar sempre a pé, ia montado num burrinho.
           Certa noite, chegando a uma pequena vila, procurou lugar para repousar, mas ninguém deu abrigo ao estranho. Desolado, Okiba foi dormir em baixo de uma frondosa árvore. Acendeu o candeeiro, fez suas preces e iniciou a ler a Escritura, mas um vento forte apagou o candeeiro.
           Pacientemente disse: “Deus sabe o que faz!”. E assim, procurou dormir. Durante a noite, um lobo devorou o galo e um leão o jumentinho. “Deus sabe o que faz”, pensou Okiba.
          Ao amanhecer, foi à aldeia para ver se arranjava alguma coisa para comer. Mas, que horror! Ali não havia ninguém, tudo saqueado, com corpos mutilados, estendidos em todas as partes.
          Uma tribo inimiga assaltara durante a noite e exterminara a população da pequena vila! Então pensou Okiba: Se tivesse dormido na vila teria morrido com os outros. Se o candeeiro tivesse ficado aceso durante a noite, ter-me-iam achado. Se o galo tivesse cantado de madrugada ou o burro zurrado, como costumam fazer às madrugadas, os salteadores teriam me localizado e a esta hora estaria morto… Portanto: “Deus sabe o que faz!”
          Na doença, na dificuldade, na alegria, nos contratempos do dia-a-dia, lembre-se: Deus sabe o que faz.


Lembre-se:

"Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito." Romanos 8:28

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Não julgue ninguém






Numa época em que um sorvete custava menos do que hoje, um menino de 10 anos entrou numa sorveteria, e sentou-se a uma mesa. A garçonete veio atendê-lo:

- O que você deseja? - diz a garçonete.

- Quanto custa um sundae? - ele pergunta.

- São 50 centavos - responde a garçonete.

O menino puxou as moedas do bolso e começou a contá-las.

- Bem, quanto custa o sorvete simples? - ele pergunta.

A essa altura, pessoas estavam esperando por mesas, outros clientes aguardando 

seus pedidos, e a garçonete, perdendo a paciência...

- 35 centavos - respondeu ela, de maneira brusca.

O menino, mais uma vez, contou as moedas e disse:

- Então, eu vou querer um sorvete simples de morango.

O menino terminou de tomar o sorvete, foi ao caixa, pagou a conta e saiu, acenando com 


um sorriso para a garçonete.

Quando a garçonete voltou para limpar a mesa do garoto, notou, ao lado do prato, 15

centavos em moedas. A garçonete começou a chorar copiosamente. O menino não

pediu o sundae porque ele queria que lhe sobrasse moedas para a gorjeta da 

garçonete.

A garçonete trouxe o sorvete simples e a conta. Colocou-os na mesa e saiu.



Moral da história: 


NÃO DEVEMOS JULGAR NINGUÉM OU TER OPINIÕES 


PRECIPITADAS. NÃO CONHECEMOS O CORAÇÃO, OS VERDADEIROS 


SENTIMENTOS E VALORES DAS PESSOAS. 



Trate os outros como você gostaria de ser tratado.

A humildade ainda é a melhor qualidade do ser humano.